A aurora da meia-noite

Os pobres anjos dos pobres

A aurora da meia-noite / 24 – Pesam mais as mutilações da alma que as do corpo por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 01/10/2017 «O dever para com o próximo não está confinado apenas aos que vivem ao nosso lado. A estabelecer uma ligaç&a...

As areias movediças das ilusões

A aurora da meia-noite / 23 – Aceitar a verdade é reconciliação, não resignação por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 24/09/2017 Cassandra: «Erro ou acerto no alvo como um arqueiro? Ou talvez seja um falso profeta que bate à...

O dom do segundo relato

A aurora da meia-noite / 22 – A vida que renasce não é apenas cópia da vida queimada por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 17/09/2017 «Se leio um livro e todo o meu corpo se torna tão frio que nenhum fogo pode aquecer, sei que é poesia&ra...

O canto do arameu errante

A aurora da meia-noite / 21 – Verdade da vida e salvação encontram-se no caminho por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 10/09/2017 «Mesmo se a não lês, estás na Bíblia». E. Canetti, Il cuore segreto dell'orologio  [O cora&cced...

A redenção da promessa

A aurora da meia-noite / 20 – É a gratuidade que prepara o futuro e nos salvará a todos por  Luigino Bruni publicado em Avvenire em 03/09/2017 «Mesmo que soubesse que o fim do mundo é amanhã, ainda iria, hoje, plantar uma macieira». Marti...

A maior reciprocidade

A aurora da meia-noite / 19 – Juntos, no pacto-comunhão que muda a história por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 27/08/2017 «Mais tarde, aprendi – e continuo a aprendê-lo agora – que se aprende a crer só no pleno “ser - de cá...

O exílio que é bênção

A aurora da meia-noite / 18 – A humanidade e o poder dos impérios visíveis (ou não) por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 20/08/2017 «Para os verdadeiros sábios, qualquer lugar do mundo é um exílio. É imaturo o homem que con...

A profecia nunca tem incentivos

A aurora da meia-noite / 17 – É essencial reconhecer quem usa o passado para matar o futuro por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 13/08/2017 «Não respondas ao insensato segundo a sua loucura, para não seres semelhante a ele. Responde ao insensato seg...

Para além do deserto de palavras traídas

A aurora da meia-noite / 16 – Reconhecer e enriquecer a família profética da terra por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 06/08/2017 «Uma vez, Rabbi Mosche Kobryn disse: ‘Vejo que todas as palavras que eu disse não encontraram nem sequer um que as tenh...

O cântico das vozes diferentes

A aurora da meia-noite / 15 – A grandeza de Deus livra-nos de contar apenas os nossos sonhos por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 30/07/2017 «Da imagem tensa / espreito o instante / com iminência de espera - / e não espero ninguém: na sombra acendida / esp...

O dom novo do Deus fiel

A aurora da meia-noite / 14 – Só um Pai, nunca indiferente, oferece misericórdia por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 23/07/2017 «Irmão ateu, nobremente pensativo, à procura de um Deus que eu não sei dar-te, atravessamos, juntos, o deser...

Verdade até ao miolo da vida

A aurora da meia-noite / 13 – Como Deus alimenta e muda para sempre a nossa existência por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 16/07/2017 «A minha alma refugia-se no Antigo Testamento e em Shakespeare. Lá, pelo menos, sente-se alguma coisa: lá, são home...

Mas Deus espera-nos no torno

A aurora da meia-noite / 12 – A insuficiência da prudência e a teologia das mãos por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 09/07/2017 «O trabalho físico constitui um contacto específico com a beleza do mundo e um contacto de uma plenitude tal que na...

O cântico da grande bênção

A aurora da meia-noite / 11 – A paisagem da terra encontrada não é a da terra prometida por Luigino Bruni publicato em Avvenire em 02/07/2017 «Quem ler a Bíblia não poderá evitar a impressão que, com a chegada de Jeremias, é como se u...