O exílio e a promessa

Aprender a parar e a ver

Aprender a parar e a ver

O exílio e a promessa / 15 – A palavra pode fazer-nos entrever decifrar Deus e, ainda antes, as mulheres e os homens por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 17/02/2019 À frente de todos está Deus, senhor do céu. Isto, todos o sabem. Depois, vem o príncipe Torlonia, senhor da terra. Depo...
A boa incompletude da vida

A boa incompletude da vida

O exílio e a promessa / 14 – Uma outra mão, não a nossa, fechará, pela última vez, os nossos olhos por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 10/02/2019 «Também quando a alma está angustiada, também quando nenhuma oração consegue sair da garganta, na dor, o puro repouso silencioso do Shabb...
Mendigos de fé e de crédito

Mendigos de fé e de crédito

O exílio e a promessa / 13 – Quando nos encontramos mudos, resta-nos a palavra extrema: a nossa carne por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 03/02/2019 «Estou, há seculos, desde há um momento  parado num vazio em que tudo cala, já não sei dizer desde quando sinto angústia ou paz» Francesco ...
O nome da última fidelidade

O nome da última fidelidade

O exílio e a promessa / 12 – Nem sequer Deus pode passar sem homens e mulheres que aceitem os seus dons por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 27/01/2019 «A solidão veio… Os homens retiraram-se; as amizades amorteceram; os interesses acabaram... Ingratidão? Vaidade? Ilusão?... Certamen...
A fé converte o dinheiro

A fé converte o dinheiro

O exílio e a promessa / 11 – A profecia sobre dívida e juro funda uma ética diferente da do “império” por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 20/01/2019 «Eu detesto e rejeito as vossas festas; e não sinto nenhum gosto nas vossas assembleias. Afastai de mim o vozear dos vossos cânticos, ...
A tremenda beleza dos pactos

A tremenda beleza dos pactos

O exílio e a promessa / 10 – Expomo-nos livremente, ficando vulneráveis, à liberdade do outro. por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 13/01/2019 «Se a mulher não tivesse sido separada do homem, não morreria com o homem. A sua separação marcou o início da morte. Por isso, veio Cristo, p...
Maiores que o nosso destino

Maiores que o nosso destino

O exílio e a promessa / 9 – A responsabilidade moral e espiritual de cada ação é sempre pessoal por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 06/01/2019 «Como o instinto do mal procura seduzir o homem ao pecado, também procura seduzi-lo a tornar-se demasiado justo» Martin Buber, Storie e legg...
O engano da falsa gratuidade

O engano da falsa gratuidade

O exílio e a promessa / 8 – Não se “trai” apenas por lucro, mas também por amor sem verdade por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 30/12/2018 «A palavra só é essencial e eficaz quando nasce do silêncio. O silêncio abre a fonte interior donde brota a palavra» Romano Guardini, O testamen...
Como um sinal maravilhoso

Como um sinal maravilhoso

O exílio e a promessa / 7 – Não nos “centros” dos poderosos falsos profetas, mas nas periferias e entre os últimos por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 23/12/2018 «Suplico-te: Deus, meu sonhador, continua a sonhar-me» J. L. Borges, Storia della notte A Bíblia é a narração de migraçõe...
Os pobres não são malditos

Os pobres não são malditos

O exílio e a promessa / 6 – A nova e verdadeira festa é onde parece não haver qualquer “mérito” por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 16/12/2018 «E talvez tenhamos paz quando tudo estiver perdido e sentirmos inúteis as palavras e estes encontros que nos iludem. … Então, a angústia ser...
A fé que «converte» Deus

A fé que «converte» Deus

O exílio e a promessa / 5 – A missão do profeta é também a “segunda oração” por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 09/12/2018 «A calúnia mata três pessoas: a que a difunde, a que a escuta e aquela de quem se fala; mas mais a quem a escuta que a quem a difunde» Mosé Maimonide, Norme di ...
Recordar é verbo de futuro

Recordar é verbo de futuro

O exílio e a promessa / 4 – Saber ser fiel ao «resto» verdadeiro do nosso coração por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 02/12/2018 «Ao procurar as origens torna-se caranguejo. O historiador olha para trás; e acaba também por acreditar para trás» Friedrich Nietzsche, Crepuscolo degli i...
Entre o manto e o coração

Entre o manto e o coração

O exílio e a promessa / 3 – A missão de anunciar a dura prova e semear o futuro por Luigino Bruni publicado em Avvenire em 25/11/2018 «O facto paradoxal é que o sagrado se manifesta e, consequentemente, limita-se e deixa de ser absoluto. É este o grande mistério, o mysterium tremendum: o f...

Mas cada chamamento é prova

O exílio e a promessa / 2 – O preço da palavra entre a liberdade radical e a radical indigência   por Luigino Bruni Publicado em Avvenire em 17/11/2018 "Não existem mais profetas? Não o podemos dizer: o importante é distinguir os falsos dos verdadeiros profetas e isto vale para todas ...